Digite uma palavra ou expressão:

Pesquise por letra:

Letra A Letra B Letra C Letra D Letra E Letra F Letra G Letra H Letra I Letra J Letra K Letra L Letra M
Letra N Letra O Letra P Letra Q Letra R Letra S Letra T Letra U Letra V Letra W Letra X Letra Y Letra Z

Temperos: Riqueza Nacional

Fonte: CozinhaNet

condimentos

O Brasil possui cerca de 12.000 ervas aromáticas e medicinais, mas ainda se sabe muito pouco sobre o seu uso e cultivo. A maior parte das ervas encontradas para venda são de origem natural, colhidas na natureza. Os únicos temperos plantados são os consumidos em larga escala, considerados mais comuns: salsa, cebolinha, coentro, hortelã e as pimentas que, além do consumo normal, ainda são exportadas.

Condimentos ou temperos são substâncias usadas para ressaltar o sabor natural dos alimentos ou para imprimir-lhes um sabor novo. Historicamente foram usados para conservar alimentos. Traduzem, na maioria das vezes, hábitos regionais. 

De acordo com a sua aplicação e sabor podem os condimentos classificar-se em:

1. Essências ou Aromatizantes: solução alcoólica (álcool etílico) contendo o extrato aromático ou partículas obtidas pela maceração da planta ou parte da planta que dá o nome à essência (baunilha, limão, hortelã, anis, menta, amêndoa etc). Existem também as essências sintéticas (limão, abacaxi, framboesa etc) que simulam o sabor natural.

2. Salgados: sal de cozinha puro ou grosso, sal iodado, sal com alho, sal com cebola, glutamato monossódico que ressalta o sabor de pratos salgados (carnes, vegetais etc), cloreto de potássio (para dietas hipossódicas) e salitre (nitratos e nitritos).

3. Picantes: pimenta da Jamaica, pimenta calabresa, pimenta branca, pimenta preta, pimentas verde e vermelha, pimentões, mostarda, curry, gengibre, alcaparras, chili em pó, páprica, macis, curcuma.

4. Ácidos: vinagre, limão, tomate, vinho.

5. Especiarias: alcarávia, anis, cardamomo, canela, cássia, cravo, cominho, endro, noz moscada, papoula (semente), sésamo, baunilha.

6. Ervas aromáticas frescas, secas ou em pó (simples ou em misturas): aipo, alecrim, coentro, alfavaca, estragão, cebolinha verde, cerefólio, hortelã, louro, manjerona, manjericão, orégão, salsa, tomilho.

7. Bulbos: alho, alho poro, cebola etc.

8. Gorduras: creme de leite, manteiga, azeites e óleos, banha, gordura vegetal hidrogenada, margarina, toucinho, azeite de dendê.

9. Corantes: massa de tomate, açafrão, páprica, anelinas, caramelo, colorau, urucum etc.

10. Adoçantes: açúcar, mel, melaço, glucose de milho etc.

11. Adoçantes não calóricos: sacarina e adoçantes a base de ciclamato e aspartame.

12. Extratos: substâncias concentradas por evaporação (extrato de carne, extrato de tomate etc).

O uso correto de condimentos é sem dúvida um dos aspectos artísticos marcantes na culinária.

As sensações gustativas não se baseiam somente em efeitos de substâncias químicas, mas em elementos físicos também, quais sejam, a temperatura (o calor ressalta o sabor), a dureza, a aspereza e a maciez que dão sensações táteis diversas a certos alimentos, o ruído do alimento crocante etc.

Pela combinação de condimentos e temperatura pode-se produzir uma gama incalculável de sabores. 

O necessário é não perder de vista que o melhor é conservar o sabor próprio natural do alimento, o condimento apenas deve realçar e não mascarar o sabor original dos alimentos.

Certos alimentos pedem determinados condimentos. Não se deve abusar de um condimento e nem se deve generalizá-lo para todos os pratos.

Sugestões de como usar os condimentos:

- Galinha: cebola, manjerona, sálvia, curry.
- Arroz: açafrão, chili, curry, cogumelos, pimentões, colorau, alecrim.
- Assado: louro, salsa, cebolinha, açafrão, sálvia, aipo, manjerona, azeitonas, vinho.
- Coelho: alecrim, gengibre, pimenta, salsa, louro, noz moscada, cravo.
- Doces: anis, cássia, canela, noz moscada, cravo, baunilha.
- Pizza: orégano e tomate.
- Produtos de salsicharia: alho, salitre, manjerona, tomilho, pimenta do reino.
- Pães diversos: semente de papoula, erva doce, sésamo.
- Peixes e camarões: louro, páprica, alho, coentro, cebola, salsa, limão, pimenta malagueta, manjericão, alfavaca.
- Carne: louro, chili em pó, curry, mostarda, orégano, pimenta, vinho, vinagre, cebola, salsa.
- Porco: alcarávia, cominho, pimenta do reino, alho, limão, vinagre, cravo.


Aroma, Prazer e Saúde

Os condimentos, além do prazer de seu sabor e aroma, são também medicinais, tendo sempre alguma vantagem (princípio ativo) a nos dar de forma salutar. Um verdadeiro presente dado pela natureza. É bem verdade que o homem ainda não se deu conta destas riquezas e com o tempo poderá se surpreender com suas vantagens.


O que é Princípio Ativo?

O princípio ativo, grosso modo, é a substância característica de cada tipo e espécie de planta, responsável por sua ação terapêutica, aromática e gustativa ou outra função qualquer.

É ele o material extraído das plantas por indústrias, estudiosos, químicos etc. que se utilizam delas na confecção e fabricação de cosméticos, temperos, remédios. Todas as plantas fabricam compostos químicos conhecidos como princípio ativo. Alguns destes compostos, quando ingeridos, nos dão reações favoráveis à saúde; já outras plantas podem dar intoxicação, podendo, portanto, ser consideradas venenosas.

Existem ainda casos em que a quantidade da planta em questão é que deveria ser menor para causar benefício e seu exagero é o motivo da intoxicação. Assim, todas as plantas merecem atenção, conhecimento e experiências que tornarão você hábil a fazer uso de suas propriedades.


Veja as propriedades de algumas ervas aromáticas:

Alfavaca: em chá (das folhas) é usada para combater cólicas intestinais e menstruais. Tem propriedades tônicas, anti-sépticas e digestivas.

Alecrim: utilizado como digestivo. Seu óleo é usado nas dores reumáticas e no banho.

Alho: desinfetante e anti-séptico, é eficaz também contra vermes e prisão de ventre.

Canela: tem uma ação reguladora do apetite, fortalece o estômago, é estimulante e adstringente.

Camomila: a função mais famosa do chá de camomila é seu poder sedativo e digestivo. Pode também ser usado como compressa para aliviar queimaduras de sol. Funciona como um ótimo calmante.

Cebola: rica em vitamina C, é anti-séptica, estimulante, diurética e digestiva.

Cravo: é estimulante, excitante e digestivo.

Erva-doce: estimula o apetite. O chá das sementes é empregado contra cólicas do estômago e azias. 

Erva-cidreira: o chá de suas folhas é um calmante leve a também digestivo.

Gengibre: o chá tem função estimulante.

Raiz forte: é anti-séptica, laxativa e extremamente diurética.

Hortelã: seu chá, feito das folhas, é diurético e digestivo, além de combater a dor de estômago.

Pimenta do reino: aumenta a secreção dos sucos gástricos, facilitando a digestão.

Salsa: a planta fresca é diurética, desintoxicante e rica em vitaminas A e C.

Zimbro: é estimulante, excitante e digestivo.



Referências Bibliográficas

ORNELLAS, Lilselatte H. Técnica Dietética, Seleção e Preparo de Alimentos. Atheneu Editora, São Paulo.

Toda Cozinha Especial - Temperos & Especiarias

Mais nesta categoria: « Tecnologia Dos Alimentos Tequila »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Member Login

Pellentesque adipiscing odio eu neque gravida vehicula. Ut ultricies diam vel est convallis non auctor dui scelerisque. Quisque at erat sem
×