Digite uma palavra ou expressão:

Pesquise por letra:

Letra A Letra B Letra C Letra D Letra E Letra F Letra G Letra H Letra I Letra J Letra K Letra L Letra M
Letra N Letra O Letra P Letra Q Letra R Letra S Letra T Letra U Letra V Letra W Letra X Letra Y Letra Z

Mangostin ou Mangostão Destaque

Fonte: Folha de São Paulo/Seagri

mangostin

O mangostin ou mangostão e em inglês "mangosteen" é considerado a fruta mais famosa e mais saborosa do trópico asiático. A rainha Vitória, da Inglaterra (1819-1901), ao prová-la, disse não haver saboreado antes nenhuma fruta tão deliciosa e, a partir daí, ficou conhecida como a fruta-da-rainha.

Pertencente à família Clusiaceae e originário da Ásia, o mangostão é de disseminação bastante restrita, cultivado, principalmente, nas regiões tropicais da Ásia, Índia, Austrália e em alguns países da América. No Brasil, foi introduzido definitivamente por volta de 1935,na Bahia e em 1942, no Pará.

O mangostanzeiro é nativo do Sudeste da Ásia e atualmente é encontrado na Indonésia, Malásia,
Filipinas, Tailândia, Vietnam, Camboja,Java, Sumatra, Cochinchina, Ceilão,Singapura e em outras regiões tropicais, como Costa do Marfim, Madagascar, Sri Lanka, Índia, China, 
Austrália. No novo continente,é cultivado na Costa Rica, Porto Rico, República Dominicana, Jamaica,
Panamá, Havaí, Honduras, Guatemala, Sul da Flórida, Cuba e Brasil.

De casca grossa e roxa, quase negra, o mangostin (ou mangostão, como também ficou conhecido) é nativo da Ásia e cultivado em regiões tropicais, inclusive no Brasil.

"A fruta chegou ao país nos anos 40, no Pará, mas está aparecendo agora no mercado. Atualmente, é cultivada no sul da Bahia, no Pará e, em pequena escala, no Espírito Santo e em São Paulo, onde as condições de solo e clima são favoráveis", afirma Jocelem Mastrodi Salgado, presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais e professora de nutrição da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), da USP (Universidade de São Paulo).

Seus gomos brancos e suculentos têm aspecto similar ao da polpa da lichia, fruta exótica já assimilada pelo consumidor brasileiro, e costumam ser apreciados ao natural.

Da mesma família do bacuri, o mangostin possui um sabor único, mais doce do que ácido. "Por isso, combina bem com frutas cítricas, como limão-siciliano e maracujá", afirma o chef Fábio Eustáquio.

Ao verificar os componentes nutricionais e antioxidantes da fruta, uma pesquisa realizada na Esalq no início do ano concluiu que ela é muito rica em agentes fenólicos, substâncias altamente antioxidantes, que impedem a oxidação do colesterol "ruim".

"O mangostin tem uma distribuição bastante equilibrada de nutrientes e se destaca como uma fonte muito rica de compostos fenólicos, o que lhe atribui importantes propriedades funcionais. Também é riquíssimo em fibras", afirma Salgado, que coordenou o estudo.

Nos Estados Unidos, o mangostin já entra na composição de suplementos dietéticos.

Com tantos predicados, resta torcer por um incremento da produção, capaz de baixar os preços e tornar a fruta mais acessível --atualmente, uma bandeja com seis unidades de mangostim custa aproximadamente R$ 9.

Mais nesta categoria: « Manga Manjericão »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Member Login

Pellentesque adipiscing odio eu neque gravida vehicula. Ut ultricies diam vel est convallis non auctor dui scelerisque. Quisque at erat sem
×