Imprimir esta página

Dim Sum

São pequenas porções de delicados pasteizinhos fritos ou cozidos no vapor, com recheios variados.

Fonte:

dimsum3

O “Dim sum” são pequenas porções de delicados pasteizinhos fritos ou cozidos no vapor, com recheios variados, que surgiram há mais de mil anos na China, entre os séculos IX e X, na conhecida Rota da Seda.

“Dim sum” significa "tocar o coração". Os mercadores paravam em casas de chás para se recompor das cansativas viagens e, como cortesia, os donos ofereciam dim sum. Era um sinal de apreço, um agrado ao cliente. Hoje são consumidos em quase todos os países, especialmente na Europa, nos Estados Unidos e inclusive no Brasil. No Japão, recebe o nome de "shumai". Nos Estados Unidos e Europa, são chamados de "dumplings".

O produto que é servido como uma espécie de petisco, foi popularizada pelas casas de chá, mas há quem diga que foi criada pelo chef de um imperador chinês que queria conhecer a comida de todos os cantos de seu império. Para agradá-lo, o cozinheiro reuniu todos os sabores e preparou uma espécie de menu degustação: recheou pequenos pastéis de massa fina com um pouquinho de cada prato. Hoje, as casas de chá chinesas servem a combinação chá+dim sum em todos os horários do dia, principalmente pela manhã.

Esses "petiscos" também são preparados em momentos de confraternização, de alegria, como nas manhãs de domingo, com a família reunida. Em geral são preparados com uma massa muito fina chamada de wontom ou wan tan, feitas à base de farinha de trigo ou ainda outras com amido de trigo, milho ou batata. Dependendo de sua composição, ela fica mais ou menos fina, e pode ser fechada como um rolinho, pastelzinho ou trouxinha. No Brasil os mais conhecidos são o guioza e harumaki (rolinho primavera).