Digite uma palavra ou expressão:

Pesquise por letra:

Letra A Letra B Letra C Letra D Letra E Letra F Letra G Letra H Letra I Letra J Letra K Letra L Letra M
Letra N Letra O Letra P Letra Q Letra R Letra S Letra T Letra U Letra V Letra W Letra X Letra Y Letra Z

Dill

Endro, aneto ou dill são os nomes de uma uma especiaria com folhas de aroma e sabor delicado e fresco, que lembra a erva-doce, e suas sementes são fortemente aromáticas e picantes.

De origem asiática, o endro é um condimento muito popular na Europa Oriental e do Norte, sendo indispensável na culinária de russos e escandinavos. Na Índia, é um dos ingredientes do curry. No Brasil, só recentemente passou a ser mais conhecido e empregado.

Utilizado e apreciado pelos homens desde tempos primordiais, o endro foi introduzido na Europa durante a Antigüidade. Os egípcios e os gregos a empregavam como planta medicinal por seus poderes digestivos e calmantes. Para os romanos, simbolizava a vitalidade e eles acreditavam que o endro podia aumentar a força física, tanto que os próprios gladiadores utilizavam muito desta semente em sua alimentação.

Também, foi usado na Idade Média para enfrentar as bruxarias. Os hebreus costumavam pagar o dízimo, sua obrigação religiosa, com o endro; os armênios (que o chamavam de "erva-de-deus") também o usavam com muita freqüência para condimentar seus pratos, sendo característico de sua culinária.

Características da Planta

O endro é uma planta herbácea de caule fino e oco, pertencente à família Umbeliferae, sendo primo da salsinha (Petroselinum crispum), da cenoura (Daucus carota) e da erva-doce (Foeniculum vulgare Miller) com a qual muito se parece e é confundido. Entretanto, a semelhança se limita à aparência, pois além de sabores distintos, o endro é um arbusto de porte mais baixo e de ciclo anual ao contrário da erva-doce que vive mais de dez anos produzindo bem.

Sua altura varia de 20 cm até a 1 metro, dependendo da fertilidade do terreno. Suas folhas têm coloração esverdeada e suas flores são amarelas. Os frutos são pequenos, do tipo denominado diaquênio¹, com sementes marrons quando maduras.

O endro é encontrado vegetando espontaneamente em várias regiões de clima temperado como o Sul da Europa, o Norte da África e Ásia. Atualmente, é cultivado em escala comercial em alguns países europeus como Alemanha e Romênia, e, também, no Paquistão, Índia, Japão e Estados Unidos.

OS USOS DO ENDRO

Partes Utilizadas: Flores, folhas e sementes.

A parte mais valorizada são as sementes, que produzem um óleo de excelente qualidade, de odor agradável e característico. Já as folhas, às vezes, são utilizadas para a extração de óleo, mas este é de qualidade inferior e não tão agradável quanto o das sementes. Como condimento a preferência, também, é pelas sementes, mas alguns pratos utilizam o aneto fresco também. Para fins medicinais pode-se utilizar a planta toda.

O princípio ativo mais valorizado são os óleos essenciais, lembrando que óleo essencial é uma mistura de dezenas de substâncias químicas. Também são encontradas substâncias nitrogenadas, resinas, muscilagens e taninos, que são substâncias comuns em quase todos os vegetais

Além de ser apreciado como condimento, o endro também é usado na perfumaria, para aromatizar sabonetes e, na cosmética, tem a propriedade de clarear a pele, fortalecer as unhas e perfumar o hálito. Saches com a flor, colocados em armários ou gavetas, espantam as traças.

USOS NA CULINÁRIA

Na cozinha, o endro é apreciado tanto pelas suas sementes como pelas suas folhas e cada uma delas tem seu próprio e distinto sabor. As sementes possuem um odor agradável e forte, fresco e picante. O sabor é quente. As folhas são anisadas sem o sabor queimado das sementes. As folhas secas perdem um pouco o aroma.

Devido ao aroma e sabor delicado de suas folhas, é indicado para comidas pouco temperadas. Pode ser usado em dietas com exclusão do sal como seu substituto pois é muito rico em sais minerais.

As folhinhas frescas são ótimas para condimentar queijos, ricota, molho branco, carnes grelhadas, peixes como o salmão e o arenque, saladas, ovos, cremes tipo maionese ou manteiga ou patês, arroz ou massa e sopas. Seu aroma e sabor são melhor aproveitados, quando esta erva é acrescentada ao final do cozimento.

As sementes usam-se em pickles, conservas, vinagres aromáticos, bolos, pães, carnes e legumes cozidos, principalmente repolho, beterraba e couve-flor. Também faz parte dos ingredientes do molho curry.

Condimento essencial na culinária do Norte da Europa, principalmente na Rússia, Noruega e Suécia. Nestes países, o endro está como o orégano para o italiano. Difícil imaginar um salmão sem ele, tanto as folhas frescas quanto as sementes secas.

Forma de venda: Folhas frescas e secas e sementes.

Como escolher e onde encontrar

Fresco: maços e vasinhos de endro fresco são encontrados em feiras, mercados e supermercados. Escolha os ramos com as folhas mais viçosas e que não estejam manchadas nem murchas.
Seco e Sementes: encontrado em supermercados e empórios. Verifique o prazo de validade.

Como Conservar

Fresco - lave suas folhas e seque-as cuidadosamente com toalha de papel, depois guarde-as na geladeira, por alguns dias em recipiente fechado ou sacos plásticos próprios para alimentos.
Seco e Sementes - Conserve-o em vidro fechado ( de preferência escuro), em local protegido da umidade e luminosidade.

USO MEDICINAL

Diurético, combate cólicas e a hiperacidez gástrica. Age, também, contra a insônia. É um dos principais remédios naturais contra a flatulência. Nas inflamações do olho, recomendam-se compressas do chá das sementes.

Aplicações
Pode ser usado para as cólicas intestinais dos recém-nascidos nas más digestões, gases, hiper-acidez, espasmos e soluços. Descrita para aumentar o leite de parturientes, nas cólicas menstruais, e ainda na limpeza de feridas, queimaduras, úlceras dérmicas e resfriados.

Contra-indicações/cuidados: contra-indicado o uso interno ou externo de óleo essencial durante a gravidez, lactância, em crianças e em doenças neurológicas. Pode dar fotodermatite e, em doses elevadas, é convulsivo.

Receitas Medicinais Caseiras:

Soluço - Decocção de 5 minutos de uma colher de café de sementes em 250 ml de água e tomar com sumo de limão.
Lactação e gases - Decocção de de 5 minutos 2 colheres de café de sementes em 250ml. Ir tomando uma xícara antes da amamentação.
Resfriado - Ferver durante 5 minutos ¼ de vinho com 1 colher de café de sementes de endro com um pau de canela e uma colher de café de eucalipto. Deixar abafar mais 5 minutos e tomar.
Inflamações oculares - Fazer compressas mornas com a infusão das sementes, na proporção de 5-10 gr para um litro de água.
Parasitas do couro cabeludo - usar uma infusão das flores.
Furúnculos - Ferver 10 gr de sementes em azeite e aplicar ainda quente, para amadurecer e aliviar a dor dos furúnculos.

Uso mágico: O endro era considerado uma erva com poderes mágicos, que agia principalmente nas questões amorosas.

CURIOSIDADES:

  • O uso do endro já era mencionado na Bíblia, para pagamento de impostos, pois tinha alto valor comercial para os romanos.
  • Sua maior tradição, tanto culinária quanto medicinal, é cultivada na Índia.

Fonte: Correio Gourmand

Mais nesta categoria: « Digestão Dill (Endro) »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Member Login

Pellentesque adipiscing odio eu neque gravida vehicula. Ut ultricies diam vel est convallis non auctor dui scelerisque. Quisque at erat sem
×