Bolos especiais viram tendências

Os bolos especiais se tornaram uma tendência gastronômica, impulsionado principalmente por reality shows, como o Cake Boss. Coloridos, sofisticados e até mesmo artísticos, esses produtos têm tido destaque tanto por consumidores, quanto por empreendedores.

Mesmo sendo atrativo, para entrar nesse mercado é preciso ter habilidade manual, além de dedicação para atrair os clientes. "É uma área que mexe com o sonho das pessoas. É importante não se preocupar apenas com a estética, mas também com a qualidade do produto e o prazo de validade", explica Fernanda Suzumura, professora do Senac-SP.

Outro conselho para quem deseja entrar nesse mercado é se diferenciar no segmento, principalmente porque a concorrência deve aumentar. "Esses bolos são uma tendência agora, muitas pessoas vão começar a fazer e o preço tende a cair. Quem se diferenciar vai ficar e muitos vão se perder no meio do caminho", recomenda o presidente da Associação Brasileira dos Confeiteiros e Sorveteiros (Abraces), Angelo Sabatino Perrella, que também é proprietário da Confeitaria Asti.

Um profissional que seguiu o negócio é Nelson Pantano, do The King Cake. Ele começou a se interessar por bolos com 11 anos, mas só investiu no negócio após concluir a faculdade de publicidade. Atualmente o The King Cake produz aproximadamente 16 bolos por semana e fatura entre R$120 mil e R$140 mil por mês.

Os bolos mais simples custam em torno de R$1,5mil e os de casamento R$ 2,5 mil, mas já chegou a fazer um bolo por R$25mil, com flores de açúcar que parecem reais."Nenhum é igual ao outro. Não é um catálogo. Cada um é desenhado para cada cliente e para cada festa", afirma Pantano.

As irmãs Karen Scorzato e Karolina também resolveram investir nesse mercado e criaram o ateliê Lili Glacê. A primeira é formada em artes e a outra é formada em gastronomia. Elas juntaram seus dotes para produzir os bolos. "Começamos a trabalhar juntas e a criar coisas novas e diferentes. Na época era tudo branco e começamos a usar o aerógrafo para pintar. Acredito que nosso diferencial é a parte artística.Todo mundo fala que nosso bolo tem identidade própria e mostra nossa parte criativa da pintura", afirma Karoline.

As irmãs começaram a produção de bolos em casa, mas acabaram mudando para um espaço em Moema. Lá também são ministradas aulas de culinária, que custam a partir de R$1 mil.

Fonte: Estadão PME

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Member Login

Pellentesque adipiscing odio eu neque gravida vehicula. Ut ultricies diam vel est convallis non auctor dui scelerisque. Quisque at erat sem
×