Alimentos Aliados Do Sistema Imunológico

O frio está chegando. É hora de armar-se para combater as doenças que ele traz.

Fonte: Agência Estado

cha-invernoChá de alho é um ingrediente famoso contra as gripes entre as receitas populares. Será verdade? Sim, em períodos de mudanças bruscas de temperatura, situação típica do outono, existem alimentos capazes de reforçar as defesas do corpo, garantem os especialistas. Esta missão cabe especialmente aos hortifrútis ricos em vitaminas dos tipos A ou E, assim como aos alimentos que contêm grandes quantidades de minerais, como Zinco e Selênio.

“O nosso sistema imunológico tem a função de defender o organismo e deve ser visto como um órgão. Ele precisa de cuidados e a alimentação saudável é um deles”, diz o especialista em gripe e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), João Toledo Neto.

Segundo Toledo, uma alimentação deficiente pode, sim, deixar o corpo mais suscetível a doenças. “É a carência de nutrientes que enfraquece a defesa do organismo”, diz Toledo. “O sistema imunológico é desenvolvido já no feto. E o aspecto nutricional é importante desde quando se nasce”, completa. Para ele, fazer atividades físicas deve ser um complemento da boa alimentação no reforço do sistema imunológico.

Para que os alimentos exerçam uma função protetora, os nutrientes devem ser ingeridos diariamente. “Comer um alimento funcional esporadicamente não trará nenhuma melhora à saúde”, alerta o nutrólogo Edson Credidio, doutor em Ciências de Alimentos pela Universidade de Campinas (Unicamp).

Para a nutricionista do Hospital das Clínicas da Unicamp, Salete Brito, a dica é apostar em uma alimentação balanceada. “O corpo é uma máquina e, para funcionar bem, precisa de todos os nutrientes. Não podemos esquecer dos carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais e gordura, como a do ômega 3”, enumera.

Se alguns alimentos atuam como reforços, outros podem ser vilões “Frituras e embutidos potencializam a produção de radicais livres, o que pode aumentar a resposta inflamatória devido ao alto teor de gordura”, afirma a nutróloga Sandra Lúcia Fernandes, da Sociedade Brasileira de Nutrologia (Abran).

MITO?

No caso do alho, rico em vitamina A, a fama de poderoso é verdadeira. “ É um alimento funcional analgésico, antialérgico, antibiótico e tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Deve fazer parte de toda dieta diariamente”, afirma Credidio. A vitamina C, sempre associada à prevenção de resfriados, é uma questão polêmica. Trata-se de “um antioxidante que estimula a resistência a infecções via atividades imunológicas de leucócitos, além de aumentar as células de defesa”, segundo a professora Jocelem Mastrodi Salgado, do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Universidade de São Paulo (UPS).

As propriedades da vitamina C valem para a substância obtida de forma natural, como na laranja ou na acerola, mas tomar grandes quantidades dela, via suplementos, não ajuda a combater resfriados. “Isso é um mito”, garante Toledo. “Não há nenhuma comprovação científica de que tomar suplementos de vitamina C combata gripes e resfriados. A vitamina só vale se for consumida naturalmente no dia a dia, por meio de algumas verduras e frutas Os suplementos só devem entrar em cena para quem tem deficiência”, indica.

Conheça os alimentos apontados pelos especialistas como os principais aliados do sistema imunológico e monte seu cardápio protetor para este outono-inverno.

FIBRAS - Estas fibras formam uma espécie de esponja no organismo, regularizando o intestino que, segundo Salete, é o maior órgão imune do corpo e merece atenção. “Cerca de 70% das células do intestino fazem parte do sistema imune. Favorecendo este órgão, estaremos reforçando nosso sistema de defesa”, explica ela. Coma: maçã, castanhas, soja, lentilhas, aveia, abobrinha e mandioca.

ZINCO - Segundo Jocelem, o mineral “atua na reparação de tecidos e na cicatrização de ferimentos”. Ele também participa da estrutura e do funcionamento das membranas celulares. Coma: carne de boi ou frango, fígado, camarão, grãos integrais, castanhas, nozes, cereais, lêvedo de cerveja, leite, frutos do mar, germe de trigo, ostras.

VITAMINA A - Segundo Credidio, ela “tem papel essencial no desenvolvimento ósseo, na visão, no tecido epitelial, no sistema de defesa do corpo e no processo de reprodução, além de atuar nas membranas mucosas.” Coma: cenoura, abóbora, batata doce, fígado, damasco seco, melão, tomate, alface, mamão.

VITAMINA E - É antioxidante e sua função é proteger as membranas celulares e as hemácias (as células do sangue) contra substâncias tóxicas. Coma: germe de trigo, óleos de soja, milho, girassol, vegetais folhosos e legumes.

SELÊNIO - Antioxidante, neutraliza a ação dos radicais livres. “É um mineral-traço, ou seja, essencial para o bom funcionamento global do organismo”, diz Credidio. Coma: cogumelo, couve, brócolis, aipo, pepino, cebola, alho, rabanete, lêvedo de cerveja, grãos e peixes variados.

Chá de alho é um ingrediente famoso contra as gripes entre as receitas populares. Será verdade? Sim, em períodos de mudanças bruscas de temperatura, situação típica do outono, existem alimentos capazes de reforçar as defesas do corpo, garantem os especialistas. Esta missão cabe especialmente aos hortifrútis ricos em vitaminas dos tipos A ou E, assim como aos alimentos que contêm grandes quantidades de minerais, como Zinco e Selênio.

“O nosso sistema imunológico tem a função de defender o organismo e deve ser visto como um órgão. Ele precisa de cuidados e a alimentação saudável é um deles”, diz o especialista em gripe e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), João Toledo Neto.

Segundo Toledo, uma alimentação deficiente pode, sim, deixar o corpo mais suscetível a doenças. “É a carência de nutrientes que enfraquece a defesa do organismo”, diz Toledo. “O sistema imunológico é desenvolvido já no feto. E o aspecto nutricional é importante desde quando se nasce”, completa. Para ele, fazer atividades físicas deve ser um complemento da boa alimentação no reforço do sistema imunológico.

Para que os alimentos exerçam uma função protetora, os nutrientes devem ser ingeridos diariamente. “Comer um alimento funcional esporadicamente não trará nenhuma melhora à saúde”, alerta o nutrólogo Edson Credidio, doutor em Ciências de Alimentos pela Universidade de Campinas (Unicamp).

Para a nutricionista do Hospital das Clínicas da Unicamp, Salete Brito, a dica é apostar em uma alimentação balanceada. “O corpo é uma máquina e, para funcionar bem, precisa de todos os nutrientes. Não podemos esquecer dos carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais e gordura, como a do ômega 3”, enumera.

Se alguns alimentos atuam como reforços, outros podem ser vilões “Frituras e embutidos potencializam a produção de radicais livres, o que pode aumentar a resposta inflamatória devido ao alto teor de gordura”, afirma a nutróloga Sandra Lúcia Fernandes, da Sociedade Brasileira de Nutrologia (Abran).

MITO?

No caso do alho, rico em vitamina A, a fama de poderoso é verdadeira. “ É um alimento funcional analgésico, antialérgico, antibiótico e tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Deve fazer parte de toda dieta diariamente”, afirma Credidio. A vitamina C, sempre associada à prevenção de resfriados, é uma questão polêmica. Trata-se de “um antioxidante que estimula a resistência a infecções via atividades imunológicas de leucócitos, além de aumentar as células de defesa”, segundo a professora Jocelem Mastrodi Salgado, do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Universidade de São Paulo (UPS).

As propriedades da vitamina C valem para a substância obtida de forma natural, como na laranja ou na acerola, mas tomar grandes quantidades dela, via suplementos, não ajuda a combater resfriados. “Isso é um mito”, garante Toledo. “Não há nenhuma comprovação científica de que tomar suplementos de vitamina C combata gripes e resfriados. A vitamina só vale se for consumida naturalmente no dia a dia, por meio de algumas verduras e frutas Os suplementos só devem entrar em cena para quem tem deficiência”, indica.

Conheça os alimentos apontados pelos especialistas como os principais aliados do sistema imunológico e monte seu cardápio protetor para este outono-inverno.

FIBRAS - Estas fibras formam uma espécie de esponja no organismo, regularizando o intestino que, segundo Salete, é o maior órgão imune do corpo e merece atenção. “Cerca de 70% das células do intestino fazem parte do sistema imune. Favorecendo este órgão, estaremos reforçando nosso sistema de defesa”, explica ela. Coma: maçã, castanhas, soja, lentilhas, aveia, abobrinha e mandioca.

ZINCO - Segundo Jocelem, o mineral “atua na reparação de tecidos e na cicatrização de ferimentos”. Ele também participa da estrutura e do funcionamento das membranas celulares. Coma: carne de boi ou frango, fígado, camarão, grãos integrais, castanhas, nozes, cereais, lêvedo de cerveja, leite, frutos do mar, germe de trigo, ostras.

VITAMINA A - Segundo Credidio, ela “tem papel essencial no desenvolvimento ósseo, na visão, no tecido epitelial, no sistema de defesa do corpo e no processo de reprodução, além de atuar nas membranas mucosas.” Coma: cenoura, abóbora, batata doce, fígado, damasco seco, melão, tomate, alface, mamão.

VITAMINA E - É antioxidante e sua função é proteger as membranas celulares e as hemácias (as células do sangue) contra substâncias tóxicas. Coma: germe de trigo, óleos de soja, milho, girassol, vegetais folhosos e legumes.

SELÊNIO - Antioxidante, neutraliza a ação dos radicais livres. “É um mineral-traço, ou seja, essencial para o bom funcionamento global do organismo”, diz Credidio. Coma: cogumelo, couve, brócolis, aipo, pepino, cebola, alho, rabanete, lêvedo de cerveja, grãos e peixes variados.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Member Login

Pellentesque adipiscing odio eu neque gravida vehicula. Ut ultricies diam vel est convallis non auctor dui scelerisque. Quisque at erat sem
×